Cotas raciais carta capital

Pois é esta situação a que ocorre na questão das cotas raciais em nossas universidades. Durante um bom pedaço de nossa história os negros não eram tidos como pessoas por nossa ordem jurídica, eram coisas, escravos! A escravidão gerou graves distorções sociais. Existem brancos pobres, mas esses são minoria entre os pobres.

Da carta capital: Foi necessário um vídeo gravado às escondidas em uma sala da Universidade de São Paulo (USP) para que a discussão sobre cotas raciais na maior universidade do Brasil ganhasse as redes sociais em março.

Por: Rodrigo Martins, Carta Capital. 25/09/2010. Pesquisa da Uerj desmonta os argumentos de quem se opõe às políticas afirmativas. Está previsto para o segundo semestre deste ano o julgamento, no Supremo Tribunal Federal (STF), da legalidade da reserva de vagas nas universidades por critérios raciais. Nesta última quinta-feira, dia 1 de agosto, a Frente Pró Cotas Raciais de São Paulo, espaço de articulação que reúne os movimentos negros paulistas, movimentos sociais, estudantis e sindicais comprometidos com o combate ao racismo lançaram oficialmente a Campanha Estadual de Coleta de Assinaturas para o Projeto de Iniciativa Popular de Cotas Raciais e Sociais nas Universidades ...

É comum algumas pessoas não entenderem por que afirmamos que pessoas contra cotas raciais são racistas. Há quem pense que racismo diz respeito somente a ofensas, injúrias e não percebem o quanto vai muito mais além: se trata de um sistema de opressão que privilegia um grupo racial em detrimento de outro. As cotas raciais ainda são ínfimas, se comparada com o percentual da população afrodescendente no Brasil e o que deveríamos estar lutando é para a ampliação das cotas para que haja cotas em concursos públicos para pessoas de baixa renda, ao invés de ficar questionando uma medida tão nobre. O Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar nesta quarta-feira, 25, processos que definirão se o sistema de cotas raciais e sociais adotado por universidades brasileiras é ou não ... May 22, 2018 · Djamila Ribeiro é escritora, feminista, ativista das causas da mulher negra e pesquisadora acadêmica. Graduou-se em Filosofia pela Unifesp, em 2012, e tornou-se mestre em Filosofia Política na ... Jul 15, 2015 · Djamila Ribeiro acaba de publicar um artigo criminoso, a palavra é essa, na Carta Capital. O título? “Ser contra cotas raciais é concordar com a perpetuação do racismo” O artigo não vale a pena ser lido. Não apenas pela sua nauseante introdução. O artigo é de uma estupidez hedionda do começo ao fim. Menu Superior Direito. En; Loca; Inst; Lin; You; Face; Twit; Busca; Menu principal